Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10111
Título: Validade de medidas autorrelatadas na estimativa de sobrepeso e obesidade na população geral
Autor(es): Ferriani, Lara Onofre
Orientador: Viana, Maria Carmen
Coorientador: Coutinho, Evandro da Silva Freire
Palavras-chave: Estado nutricional
Validade
Autorrelato
Nutritional status
Anthropometry
Obesity
Body mass index
Validity
Selfreport
Data do documento: 7-Abr-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A obesidade tornou-se um importante problema de saúde pública, uma vez que atinge proporções pandêmicas e está associado a uma série de doenças crônicas. Para o contínuo monitoramento do estado nutricional das populações, tem-se como alternativa o uso de medidas autorrelatadas de peso e altura e, a partir delas, o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Assim, o objetivo deste trabalho é validar e corrigir medidas autorrelatadas de peso e altura para estimar a prevalência do sobrepeso e da obesidade na população geral adulta. Os dados analisados foram coletados no Estudo Epidemiológico dos Transtornos Mentais São Paulo Megacity que foi dividido em duas fases. Na primeira, um total de 5.037 indivíduos foi entrevistado em domicílio, onde as informações de peso e altura foram autorrelatadas, na segunda fase, uma subamostra de 766 teve o peso e a altura aferidos em âmbito hospitalar. As análises estatísticas foram realizadas utilizando o software Stata versão 13.0, adotando-se um nível de significância de 5%. A validade das medidas autorrelatadas foi avaliada e então foram construídos diferentes modelos de regressão linear para a correção destes dados. A concordância entre as medidas aferidas, autorrelatadas e corrigidas de peso, altura e IMC foi avaliada por meio do coeficiente de correlação intraclasse (CCI) e coeficiente kappa. A confiabilidade encontrada entre as medidas aferidas e autorrelatadas foi elevada entre ambos os sexos e para a amostra total (peso CCI 0,951 / IC 0,938-0,961; altura CCI 0,870 / IC 0,597-0,939; IMC CCI 0,865 / IC 0,677-0,928). Contudo, a estimativa da prevalência de excesso de peso pelas medidas autorrelatadas mostrou-se subestimada (em 13%). O kappa comparando o dado autorrelatado com o aferido é classificado com concordância moderada (0,574), já para as medidas corrigidas, a concordância encontrada muda de categoria de classificação, sendo considerada substancial (0,653 / 0,665), demonstrando que a medida corrigida se aproxima mais da medida real. Encontrou-se uma elevada prevalência de sobrepeso e obesidade, considerando as estimativas a partir das medidas aferidas (38,0% e 22,6%, respectivamente), como também daquelas autorrelatadas (30,9% e 11,7%) e das corrigidas (37,4-39,0% e 17,8-18,6%). A correção de medidas autorrelatadas mostra-se uma alternativa considerável, já que a medida corrigida consegue representar mais fidedignamente a medida real e assim, reduzir a subestimativa na prevalência do excesso de peso resultante do uso destas medidas.
Obesity has become a major public health problem, as it reaches pandemic proportions and is associated with a number of chronic diseases. For the continuous monitoring of populations’ nutritional status, the use of self-reported measures of weight and height, and derived calculation of the Body Mass Index (BMI), has become a common alternative. Thus, the objective of this study is to validate and correct self-reported measures of weight and height in order to estimate prevalence rates of overweight and obesity in the general adult population. The data analyzed were collected in the São Paulo Megacity Mental Health Survey that was divided in two phases; in the first, a total of 5.037 individuals were interviewed at home, where information of weight and height were self-reported. In the second phase, a subsample of 766 individuals had the weight and height measured in the hospital scope. Statistical analysis were performed using Stata version 13.0 software, with a 5% significance level. The validity of the self-reported measures was evaluated and then different linear regression models were constructed for the correction of the self-reported data. The concordance between the measured, self-reported and corrected measures of weight, height and BMI was evaluated through intraclass correlation coefficients (ICC) and kappa coefficient. The reliability found between the measured and self-reported measures was high for both sexes and for the total sample (ICC weight 0.951 / CI 0.938-0.961; ICC height 0.870 / CI 0.597-0.939; ICC BMI 0.865 / CI 0.677- 0.928). However, the estimation of the prevalence of overweight by self-reported measures was underestimated by 13%. The kappa coefficient comparing the self-reported data with the measured one is classified as moderate agreement (0.574), whereas for the corrected measures the agreement found changes from the classification category considered substantial (0.653 / 0.665), demonstrating that the corrected measure is closer to the actual measure. A high prevalence of overweight and obesity was found, considering the estimates from the measured measures (38.0% and 22.6%, respectively), as well as from those self-reported (30.9% and 11.7%) and corrected ones (37.4-39.0% and 17.8-18.6%). Therefore, the corrected measure seems to be a considerable alternative when using self-reported measures, since the corrected measure can represent more accurately the actual measure and thus reduce the underestimation of the prevalence rates of overweight resulting from the use of these measures.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10111
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11046_2015_LaraOnofreFerriani.pdf1.49 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.