Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10576
Título: Coloração de espécimes anatômicos para aplicação no processo de plastinação por meio de corantes histológicos : floxina b, safranina, fucsina fenicada e tricrômico de masson
Autor(es): Siqueira, Bruno Magela de Melo
Orientador: Bittencourt, Athelson Stefanon
Coorientador: Bittencourt, Ana Paula Santana de Vasconcellos
Data do documento: 17-Set-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O Estudo da Anatomia é conhecido há vários séculos e diante disso, a cada momento gerou várias repercussões nesta área das ciências biomédicas. Mesmo com o avanço nos setores tecnológicos, o ensino de conceitos anatômicos através de cadáveres nos cursos da saúde, ainda é essencial. Uma maneira mais comumente de se preservar peças anatômicas para estudos, é através de uma substância que foi descoberta em 1867 pelo alemão Hoffman por acidente: o formol, porém tal substância tem odor desagradável e irrita as vias nasais e a região dos olhos. A Plastinação é o que se tem de mais novo em se tratando de tecnologia para preservação de espécimes anatômicos. Tal técnica foi desenvolvida pelo alemão Dr. von Hagens em 1977 e seus princípios refletem na ideia de fazer a impregnação de polímeros (silicone, epóxi ou poliéster) nos tecidos biológicos, retirando a gordura e a água ali presente, aumentando assim a sua durabilidade e com aspectos próximos do objeto original. A Plastinação é isenta de substâncias conservadoras tóxicas, facilitando assim seu papel para fins didáticos e científicos. Utiliza-se o corante para uma melhor visualização das estruturas na peça anatômica e acabando assim com aquele aspecto de desgastado, ressaltando a cor verdadeira do objeto. Diante do exposto, desenvolveu-se um protocolo de coloração em tecido muscular esquelético, aplicado à técnica de Plastinação com os seguintes corantes: Floxina B, Safranina, Fucsina Fenicada e Tricrômico de Masson. Foi avaliada a interação do corante com o tecido muscular esquelético, gordura e tecido epitelial das amostras que foram utilizadas para a realização da pesquisa. Todos os corantes utilizados na coloração das peças macroscópicas conseguiram evidenciar certas estruturas como tendão, fáscia e tecido conjuntivo no interior do músculo. Também foi avaliada a fotodegradação destes corantes em solução. Foi percebido que os corantes que obtiveram resultados mais satisfatórios em relação ao tingimento dos espécimes foram os de caráter aniônico: Floxina B e Tricrômico de Masson, mas em relação à resistência dos corantes em exposição à luz, não foi possível eleger o que obteve o melhor desempenho, pois houve comportamentos diferentes das soluções quando expostas à luz. O protocolo final para coloração de tecidos musculares será aplicado no acervo do Museu de Ciências da Vida da Universidade Federal do Espírito Santo e no Departamento de Morfologia da mesma Universidade.
The Study of Anatomy has been known for several centuries and before this, every moment has generated several repercussions in this area of biomedical sciences. Even with advancement in the technological sectors, the teaching of anatomical concepts through corpses in health courses is still essential. A more common way of preserving anatomical parts for studies is through a substance that was discovered in 1867 by German Hoffman by accident: formaldehyde, but such substance has an unpleasant odor and irritates the nasal passages and the eye region. Plastination is the newest in terms of technology for the preservation of anatomical specimens. This technique was developed by the German Dr. von Hagens in 1977 and its principles reflect in the idea of impregnating polymers (silicone, epoxy or polyester) in biological tissues, removing the fat and water present, thus increasing their durability and with aspects close to the original object. Plastination is free from toxic conservative substances, thus facilitating its role for didactic and scientific purposes. The dye is used for a better visualization of the structures in the anatomical part and thus ending with that aspect of worn, emphasizing the true color of the object. In view of the above, has developed a staining protocol in skeletal muscle tissue, applied to the Plastination technique with the following dyes: Phloxine B, Safranin, Phenicated Fuchsin and Masson's Trichrome. The interaction of the dye with the muscle tissue, fat and epithelial tissue of the samples that were used for the research was evaluated. All the dyes used in the macroscopic staining were able to show certain structures such as tendon, fascia and connective tissue inside the muscle. It was also evaluated the photodegradation of these dyes in solution. It was noticed that the dyes that obtained more satisfactory results in relation to the dyeing of the specimens were those of anionic character: Phloxine B and Masson's Trichrome, but in relation to the resistance of the dyes in light exposure, it was not possible to choose the one that obtained the best because the solutions exhibited different behaviors when exposed to light. The final protocol for the staining muscle tissues will be applied in the collection of the Life Sciences Museum of the Federal University of Espírito Santo and in the Department of Morphology of the same University.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10576
Aparece nas coleções:PPGBF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10926_038 - Dissertação Final - Bruno Magela de Melo Siqueira.pdf3.97 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.