Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11333
Título: Conversas entre deficiência e educação : por uma política da interdependência nos cotidianos escolares
Autor(es): Abreu, Gabriela Vieira de
Orientador: César, Janaína Mariano
Data do documento: 26-Abr-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Este trabalho tem como objetivo problematizar a relação entre deficiência e educação, a partir dos processos de construção de uma educação inclusiva. A pesquisa parte de experiências de trabalho vivenciadas em cotidianos educacionais, a ver: uma prática de trabalho de mediação em escolas regulares do município de Niterói/RJ bem como, através da Formação Continuada de Professores da Educação Especial do Ensino de Jovens e Adultos/EJA, no município de Vitória/ES. Na pesquisa o cotidiano emerge como o disparador de análises sobre como vem se constituindo os processos inclusivos, bem como seus efeitos na vida de estudantes e professores e da própria escola. Na construção do trabalho utilizamos a metodologia dos diários de pesquisa como articula a Análise Institucional Francesa. Analisamos que com o acesso de estudantes deficientes às escolas regulares, as práticas educacionais são tensionadas. Percorrendo-as, primeiramente compreendemos que separar estudantes deficientes dos estudantes não deficientes, cada um em suas escolas específicas, é uma prática de discriminação; em sua forma mais radical. Em seguida, analisando os desdobramentos inclusivos no dia-a-dia escolar, dimensionamos que há distintos modos de saberfazer inclusão. Muitos desses modos ainda guardam relação com perspectivas discriminatórias em relação à deficiência, almejando manter um formato de escola normalizador. Como nos aliançar com outras práticas? Como cultivar práticas que escapem aos processos discriminatórios? Como interlocutores, que atravessam todo o processo de pesquisa, destacamos os Estudos da Deficiência, buscando observar a diretriz ética do lema “nada sobre nós, sem nós”, por eles instaurada e nevrálgica para as práticas de trabalho e de pesquisa. O que indica que qualquer fazersaber que gire em torno da deficiência, precisa ser tecido em parceria com pessoas deficientes. Por fim, esta pesquisa aponta para o exercício ético-político que envolve o cultivo da interdependência. Para isso, discutiremos com táticas de trabalho que consideramos importante para acessar a nossa condição interdependente. São elas o exercício do cuidado, preservando a dimensão da autonomia, e da conversa preservando a dimensão do desconhecimento, como modos de acesso e afirmação da alteridade, na acolhida da infinita diversidade do mundo.
This work aims to problematize the connexion between disability and education, in the processes of constructing an inclusive education. The research is based on work experiences in everyday education, as a practice of mediation work in regular schools in the city of Niterói / RJ as well as through the Continuing Education of Teachers of Special Education of Youth and Adult Education / EJA, in the city of Vitória / ES. In the research, daily emerges as the trigger for analyzes of how inclusive processes have been constituted, as well as their effects on the lives of students and teachers and the school itself. In the construction of the research we use the methodology of the research journals as articulated by the French Institutional Analysis. We analyze that with the access of disabled students to regular schools, educational practices are stressed. By traversing them, we first understand that separating disabled students from nondisabled students, each in their specific schools, is a practice of discrimination; in its most radical form. Then, analyzing the inclusive developments in the school day-to-day, we estimate that there are different ways of knowing how to do inclusion. Many of them still hold discriminatory perspectives on disability, aiming to maintain a standardized school format. How do we partner with other practices? How to cultivate practices that escape discriminatory processes? As interlocutors, that go through the entire research process, we highlight the Disability Studies, seeking to observe the ethical guideline of the motto "nothing about us, without us", which is established and central for the practices of work and research. Which indicates that any practice around disability, needs to be woven in partnership with disabled people. Finally, this research has as working direction the ethical-political exercise that involves the cultivation of interdependence. For this, we will discuss with work tactics that we consider important to access our interdependent condition. They are the exercise of care, preserving the dimension of autonomy, and of the conversation preserving the dimension of not knowing,as modes of access and affirmation of otherness, in the acceptance of the infinite diversity of the world.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11333
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_13215_Gabriela Vieira de Abreu 26.04 - definitiva.pdf1.1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.