Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2953
Título: Homem e internet móvel : mundos criados entre dedos e cliques
Autor(es): Rangel, Paula Maria Valdetaro
Orientador: Caliman, Luciana Vieira
Data do documento: 29-Ago-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A presente dissertação de mestrado propôs a pensar sobre como, na contemporaneidade, o sujeito munido de aparelhos conectados à internet móvel produz o mundo e se produz concomitantemente neste processo. A internet móvel, por sua quase onipresença em nossas vidas e espaços, chama a atenção e se faz vetor importante na constituição dos sujeitos e do mundo na atualidade. O que se faz visível, sensível e instigante nessa pesquisa é que estar (o tempo todo e em todos os lugares) em rede parece ser um veredito: estar em rede constitui a presença contemporânea. Os corpos, conectados uns aos outros, compartilham suas vidas, seus costumes, o que comem, o que vestem, onde vão, com quem estão e neste compartilhar criam-se, recriam-se. Realizou-se portanto, nessa dissertação, uma pesquisa teórica que se dispõe em três partes principais. No primeiro momento, discute-se sobre a composição da subjetividade contemporânea e a construção dos sujeitos na atualidade, sendo Rolnik e Guattari, Kastrup e Favre os principais autores intercessores. Ressalta-se a presença dos planos de forças e formas, como constituintes da realidade constantemente modificada e recriada. No segundo capítulo, discute-se a relação homem e técnica, partindo das considerações de Liliana da Escóssia, dialogando com autores como Lévy, Negri e Latour e afirma-se a defesa de se pensar e analisar a relação homem-técnica a partir de uma concepção ontongenética, na qual dá-se ênfase a processualidade desta relação. No terceiro e último capítulo, a discussão gira em torno da internet móvel e seus desdobramentos no contemporâneo: seu uso e as transformações dos sujeitos, do ambiente e da própria tecnologia. Lúcia Santaella e André Lemos aparecem como os principais debatedores. A alteração no uso do espaço público é a principal característica debatida por tais autores, abarcando temas como mobilidade urbana, espaços intersticiais e mídias locativas. Bruno Latour é o intercessor teórico central nas discussões de Lemos e Santaella, especificamente por sua teoria ator-rede. Destaca-se neste capítulo, a necessidade de análise e observação dos efeitos advindos do acoplamento com a internet móvel. Conclui-se que a relação homeminternet móvel é vetor de subjetivação marcante no contemporâneo e que esta relação é marcada pela velocidade, por transformações nos modos de ser, de se relacionar com o espaço, de estudar e de se relacionar com mídias de comunicação. Aponta-se para o viés da co-emergência dos sujeitos e da própria internet móvel, que não pode ser qualificado como bom ou mau, mas demanda um estar atento aos rastros e à agência de humanos e não humanos na construção da subjetividade contemporânea.
This dissertation proposes to think about how, in contemporary times, the subject provided with devices connected to the mobile internet produces the world and produces himself concomitantly in this process. The mobile internet for its almost omnipresence in our lives and spaces, draws attention and makes important vector in the constitution of the subject and the world today. What is visible, sensitive and thought-provoking in this research is that to be (all the time and everywhere) connected – online -seems to be one veredict: being networked is the contemporary presence. The bodies connected to each other, share their lives, their habits, what they eat, what they wear, where they go, who they are and this share creates and recreate the selves. Therefore, in this dissertation was made a theoretical research, which has three main parts. At first, we discuss about the composition of contemporary subjectivity and the construction of the subject in actuality, being Rolnik and Guattari, Kastrup and Favre the main authors intercessors. We emphasize presence of the forces and shapes ways, constantly modified and recreated as constituents of reality. In the second chapter, we discuss the relationship between man and technique from the considerations of Liliana Escóssia, dialoguing with authors such as Lévy, Negri and Latour and it is stated the defense to think and analyze the technical man-relationship from a ontongenética conception, which gives emphasis to this relationship processuality. In the third and final chapter, the discussion revolves around the mobile internet and its aftermath in the contemporary: its use and transformation of individuals, the environment and the technology itself. Lucia Santaella and André Lemos appear as the main debaters. changing the use of public space is the main feature discussed by these authors, encompassing issues as urban mobility, interstitial spaces and locative media. Bruno Latour is the central theoretical intercessor in discussions of Lemos and Santaella, specifically for his actor-network theory. stands out in this chapter, the need for analysis and observation of the engagement with the mobile internet. We conclude that mobile internet man-vector relationship is striking in contemporary subjectivity and that this relationship is marked by speed, for transformations in modes of being, of relating to space, modes of study and to relate to media communication. Points to the co-emergence of subjects and mobile internet itself bias, which can not only try to qualify as a good or bad use, but be aware of the traces and the agency of humans and nonhumans in the construction of contemporary subjectivity.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2953
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8490_Paula Maria Valdetaro Rangel.pdf1.25 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.