Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4356
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorVicente, Aline Trigueiro-
dc.date.accessioned2016-08-29T15:33:41Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-29T15:33:41Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/4356-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.subjectimaginário socialpor
dc.subjectProjeto de Grande Escalapor
dc.subjectcampo do desenvolvimentopor
dc.subjectdesenvolvimentopor
dc.titleProjeções do agora e relatos do porvir : Representações e imaginários sociais sobre a chegada de um Projeto de Grande Escala em Linhares - ES.por
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc316-
dc.subject.br-rjbnRepresentações sociaispor
dc.subject.br-rjbnImagináriopor
dc.subject.br-rjbnProjetos de desenvolvimento industrialpor
dc.subject.br-rjbnIndústrias - Desenvolvimento.por
dcterms.abstractEm 2011 o governo do Espírito Santo anunciou um dos maiores investimentos da história do estado: R$ 6,7 bilhões provenientes da Petrobrás, a serem investidos na região de Palhal, município de Linhares-ES. O empreendimento consistiria em um complexo industrial para produção de derivados do gás natural, compreendendo estruturas extramuros como uma adutora de água desde o Rio Doce, redes de alta tensão e um gasoduto até o porto mais próximo. Ocorre que os investimentos estão suspensos desde 2013 e as atividades de instalação sequer foram iniciadas. O que se propõe no presente trabalho é uma avaliação das transformações na dinâmica sócio-espacial local a partir das expectativas criadas sobre o empreendimento. Para tanto nos apoiaremos nas reflexões da Teoria das Representações Sociais e das contribuições de Castoriadis sobre o imaginário social. Atentamos que tais elaborações não se dão num vácuo, mas inseridas dentro de um campo estruturado - nos moldes da abordagem de Pierre Bourdieu e Gustavo Lins Ribeiro - em que as posições sociais ocupadas, de um lado, pelos agentes locais construtores da cotidianidade, e de outro, por discursos institucionalizados pelo Estado, mídia e pela própria empresa, apresentam uma relação estrutural de poder, em que estes últimos exercem o controle à distância sobre o ambiente vivido por aqueles, tal como aborda Milton Santos.por
dcterms.creatorWeber, Bruno Curtis-
dcterms.formattext-
dcterms.issued2016-03-28-
dcterms.languageportuguês-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Sociaispor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqCiências Sociais-
dc.publisher.courseMestrado em Ciências Sociaispor
dc.contributor.refereeKnox, Winifred-
dc.contributor.refereeCreado, Eliana Santos Junqueira-
Aparece nas coleções:PPGCSO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9734_Dissertacao_Bruno_Curtis_Weber_PGCS.pdf4.09 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.