Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5380
Título: A saúde bucal na saúde da família : ação comunicativa de Habermas guiando as relações
Autor(es): Esposti, Carolina Dutra Degli
Orientador: Oliveira, Adauto Emmerich
Palavras-chave: Ação comunicativa
Relações interprofissionais
Equipe de assistência ao paciente
Prática odontológica
Comunicative action
Family health program
Interprofessional relations
Patiente care team
Odontological practice
Data do documento: 30-Nov-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Analisa como vem ocorrendo a inserção do cirurgião-dentista na equipe multidisciplinar do Programa Saúde da Família (PSF), caracterizando o processo de trabalho do cirurgião-dentista em relação ao trabalho em equipe e identificando se há uma relação de comunicação e consenso envolvendo esses profissionais. Fundamenta-se em estudos sobre o trabalho em equipe e mais especificamente na teoria de Habermas sobre a Ação Comunicativa. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratória, do tipo estudo de caso, cujo cenário é o município de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, Brasil. A pesquisa focalizou os integrantes de duas equipes de saúde da família (ESF) e de saúde bucal (ESB) (médico, enfermeiro, auxiliar de enfermagem, agente comunitário de saúde, cirurgião-dentista, técnico de higiene dental e auxiliar de consultório dentário) que atuam nas Unidades de Saúde da Família (USF) Maruípe e Ilha do Príncipe, totalizando 14 sujeitos. Para a coleta de dados utilizou-se a observação participante e a entrevista semi-estruturada individual gravada. O exame do material empírico baseou-se na análise de conteúdo, relacionando o discurso dos entrevistados aos autores que fundamentam o estudo. Os resultados demonstram a dificuldade de integração entre cirurgiões-dentistas e demais membros das equipes, principalmente em decorrência de sua falta de preparo para atuar em equipes multiprofissionais, seguindo a manutenção do modelo hegemônico da prática odontológica, de um trabalho hierarquizado, orientado para atos individualizados e que privilegia procedimentos clínicos e tecnologias duras. Além disso, a grande cobrança por parte da gerência sobre produtividade, o trabalho de uma ESB para até duas ESF, a falta de condições de trabalho, o vínculo empregatício precário que gera alta rotatividade nas equipes, a falta de responsabilização, a formação deficiente e falta de capacitação desses profissionais para atuar em equipe e de acordo com as normas e diretrizes do PSF foram apontados como limitações para a interação na equipe. Como avanço sobre a inserção da saúde bucal no PSF observou-se a melhoria no acesso aos serviços odontológicos e a possibilidade de mudança no modelo de atuação odontológica prevalente. Para que o PSF se torne modelo de mudança da atenção básica em saúde no Brasil, a relação entre os cirurgiões-dentistas e demais profissionais das equipes da estratégia deve se pautar em uma relação livre de coação e de relações de poder, de forma a buscar a Ação Comunicativa habermasiana, isto é, uma relação em que no mínimo dois sujeitos utilizam a comunicação lingüística para construir planos de ação em comum, a partir do consenso. No PSF esse plano comum deve ter como objetivo as necessidades dos usuários em seu contexto de vida.
The study analyses the insertion of dentists into the Family Health Program (FHP) multidisciplinary team. It also characterises the work process of dentists with regards to the team work and identifies possible communicative approaches and consensus between the team professionals. The theoretical foundation was built from studies about team work relations, and more specifically from Habermas’ Theory of Communicative Action. It consists of an exploratory case study, with a qualitative approach, carried out at Vitoria, capital city of Espírito Santo State, Brazil. The research focused on 14 workers from two Health Family Teams (HFT) and Oral Health Team (OHT) (doctor, nurse, nurse assistant, community health worker, dentist, dental hygienist and dental assistant) who work at the Health Family Units of Maruípe and Ilha do Principe. The data was collected through participant observation and semi-structured recorded interview. The empirical material was analysed through content analysis and the discourses were related to the authors who support the study. The results show the difficult integration between dentists and the other team members, especially due to their lack of skills to perform in multi-professional teams, since they keep hierarchic and individualised ways of working, focusing on clinical procedures and hard technologies, which characterises hegemonic model of practicing dentistry. Adding to that, there is great pressure from management towards increased productivity, ratio of one OHT to two HFT, lack of good work conditions, temporary employment contracts that leads to high staff turnover, lack of responsibility, inappropriate undergraduate education, poorly prepared professionals who are not trained to work in a team environment and to follow the FHP’s guidelines. All these facts were seen as limitations for the team interaction. The insertion of oral health in the FHP not only improved the access to dental services but also created a possibility to change the traditional model of practicing dentistry. In order to consolidate the FHP as the model of Primary Health Care in Brazil, the relationship between dentists and the other health professionals should follow the Habermas Communicative Action, where at least two subjects use linguistic communication to build common action plan, through consensus. This action plan must aim the needs of the users and their life conditions.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5380
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_2517_2005_Carolina Dutra_Dissertação .pdf2.03 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.