Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5405
Título: Relação entre trabalho e necessidades de saúde de moradores adscritos a uma unidade de saúde da família do município da Serra-ES
Autor(es): Poldi, Roberta Melo Vello
Orientador: Borges, Luiz Henrique
Palavras-chave: Determinação de necessidades de saúde
Saúde da família
Atenção primária à saúde
Data do documento: 24-Jun-2008
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Este estudo teve como objetivo identificar e analisar as necessidades de saúde na ótica de moradores, com diferentes inserções ocupacionais, adscritos a uma unidade de saúde da família do município da Serra-ES. A pesquisa foi exploratória, de abordagem qualitativa, baseada em grupos focais compostos por trabalhadores da construção civil e trabalhadoras domésticas. Utiliza a análise temática, tendo como referencial teórico-conceitual a Taxonomia de Necessidades de Saúde de Matsumoto (1999) e a identificação de dois temas: a relação entre o trabalho e o processo saúde-doença e a relação entre as necessidades de saúde e a utilização dos serviços de saúde. Os dados mostram que o trabalho é, antes de tudo, uma necessidade para a sobrevivência, interferindo diretamente no tempo de estudo e lazer, tendo impacto direto sobre o processo saúde-doença. Esses trabalhadores possuem uma visão pluralista e holística deste processo, articulada com as condições materiais de existência, ressaltando que saúde é ter boas condições de vida e a tranqüilidade que dela decorre. Quanto à utilização dos serviços prestados pela USF do bairro, apontam problemas como: a demora e a dificuldade em conseguir agendamento; a falta de profissionais e de equipamentos necessários; o número de vagas ofertadas menor do que a demanda; o horário de funcionamento da unidade coincidente com o horário de trabalho; a falta de integração dos serviços de referência e contra-referência. Evidenciam a necessidade da garantia ao acesso a todas as tecnologias disponíveis. Demonstram a autonomia no “modo de andar a vida” quando utilizam, além de serviços tidos como pertencentes à Medicina oficial, medidas populares, como a medicina caseira, as práticas médico-religiosas, a automedicação e a consulta ao farmacêutico. Apesar de perceberem a pouca preocupação e responsabilização dos profissionais da unidade com relação à sua saúde, valorizam a dimensão relacional do cuidado, destacando a capacidade de escuta, demonstrando a necessidade de ter vínculo com o profissional ou a equipe de saúde. Apesar da consciência da saúde como um direito e da necessidade de participação da comunidade na luta pela realização deste direito, o serviço público de saúde não cria as condições de espaço e tempo para que, no âmbito da instância participativa, possam emergir as características da tessitura social em que estão inseridos, onde o trabalho é central. Pretendeu-se levantar questões que contribuam para a inclusão de ações de saúde do trabalhador na atenção básica, mais especificamente na ESF. Direcionar esses serviços na lógica da satisfação das necessidades de saúde, na ótica de seus usuários, apresenta um potencial de dar visibilidade ao trabalho como um dos fatores determinantes do processo saúdedoença, não reduzindo as ações de saúde do trabalhador à dimensão assistencial, resgatando o protagonismo do trabalhador na construção da integralidade da assistência à saúde.
The study aimed at identifying and analyzing the health needs in the point of view of the ones living in Serra/ES district, with different occupational insertions and added in writing in a health family unit of the same district. The research was exploratory, with a qualitative approach, based on focal groups, composed by civil construction workers and maids. It uses the thematic analysis, having as theoretical-conceptual referential the Matsumoto’s (1999) Taxonomy of Health Needs (1999) and the identification of two themes: the relation between work and health-disease process and the relation between health needs and the use of health services. Data show that the work is, above all, a necessity to survive, interfering directly in the study time and pleasure, impacting directly on the health-disease process. It presents a pluralist and holistic vision of this process, articulated with the material conditions of existence, highlighting that health is the same of having good conditions of life and the tranquility that comes with it. About the use of the services given by the district health family unit, it points problems such as: the delay and the difficulty in getting an appointment; the lack of professionals and of necessary equipment; the number of vacancies offered lower than the demand; the unit working schedule that coincides with the worker’s labor hours; the lack of the services integration of reference and against-reference. It stands out the necessity to guarantee the access to all available technologies. The people living in the district demonstrate the autonomy in the way they live life, when they use, besides the services considered as belonged to the official Medicine, popular measures, like homemade Medicine, the medical-religious practices, the auto medication and the pharmacist assistance. Despite noticing little preoccupation and responsibility of the unit professionals considering their health, they value the relational dimension of care, emphasizing the listening capacity, showing the necessity of being linked to a professional or to the health team. Despite the health conscience as a right and the necessity to participate in the community fight for such right accomplishment, the public service of health does not give space and time conditions so that, in the participative instance ambit, can emerge the characteristics of social tessitura in which are inserted, having the work as center. The research raises questions that contribute for the inclusion of health ocupational actions in primary health care, more specifically in ESF. Directing these services in the satisfaction logic of health, in their users’ optic, presents a potential of giving visibility to work as one of the determining factors of the health-disease process, not reducing the health actions of the worker to the assistance dimension, rescuing the protagonism of the worker in the construction of integrality of health assistance.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5405
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_2970_.pdf739.11 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.