Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5513
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorOliveira, Elizabete Regina Araújo de-
dc.date.accessioned2016-08-30T10:50:16Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-30T10:50:16Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5513-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleAdesão medicamentosa e fatores associados em idosos de um ambulatório filantrópico do Espírito Santopor
dc.typemasterThesiseng
dc.subject.udc614-
dc.subject.br-rjbnMedicamentos - Usopor
dc.subject.br-rjbnIdosospor
dc.subject.br-rjbnTratamentopor
dcterms.abstractO uso incorreto de medicamentos, a subutilização, o uso irracional ou não utilização total da medicação prescrita, são formas de não adesão ao tratamento medicamentoso. A prevalência de varia de 40 a 60% na população geral e não pode ser vista como um fenômeno isolado. Deve-se avaliar as características individuais, as sociodemográficas, as condições de saúde e do uso dos fármacos do sujeito. O estilo de vida e as condições sociodemográficas podem estar associado à não adesão medicamentosa devido relação com as condições de saúde do indivíduo. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência e os fatores associados à não adesão medicamentosa em idosos. Estudo transversal, descritivo analítico, por meio de entrevista utilizando-se um roteiro elaborado, organizado e dividido por blocos de acordo com as variáveis sociodemográficas, condições de saúde, estilo de vida e medicamentos em uso. Para verificar a não adesão ao tratamento farmacológico empregou-se o instrumento de Medida de Adesão Terapêutica. A amostra constituiu-se de 270 indivíduos com 60 anos ou mais, portadores de doenças cardiovasculares e que realizavam tratamento ambulatorial no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória. Foram utilizadas estatísticas descritivas, testes de associação pelo qui-quadrado, razões de prevalência e intervalos de 95% de confiança. Para análise ajustada foi realizada regressão múltipla de Poisson. Dos 263 entrevistados selecionados para o estudo, 26,7% referiram não aderir ao tratamento medicamentoso. Os achados desta pesquisa apontam que a ausência de vínculo empregatício da atividade profissional anterior, a presença de declínio cognitivo e a alimentação ruim estão associação com a não adesão medicamentosa nesta população. Desta forma o estado mental, um comportamento saudável de vida e melhores condições socioeconômicas podem ser fatores para a adesão medicamentosa em idosos em tratamento ambulatorial.por
dcterms.abstractThe incorrect use of medications, underuse, the irrational use or not use the total prescribed medication, are forms of non-adherence to medication. The prevalence ranges from 40 to 60% in the general population and can not be seen as an isolated phenomenon. Should evaluate the individual characteristics, the sociodemographic, health conditions and the use of drugs of the subject. The lifestyle and sociodemographic conditions may be associated with medication nonadherence due regard to the health of the individual. The aim of this study was to estimate the prevalence and factors associated with medication non-adherence in the elderly. Descriptive study, analytical, through interviews using a script prepared, organized and divided into blocks according to sociodemographic variables, health status, lifestyle and medications taken. To verify the non pharmacological treatment we used the instrument Adherence Measure Therapeutics. The sample consisted of 270 individuals aged 60 years or older with cardiovascular disease and who underwent outpatient treatment at the Hospital Santa Casa de Misericordia de Vitoria. Descriptive statistics, tests of association by chisquare, prevalence ratios and 95% confidence. Multivariate analysis was performed for multiple Poisson regression. Of the 263 respondents selected for the study, 26.7% reported not adhering to drug treatment. The findings of this research indicate that the lack of employment of the occupation earlier, the presence of cognitive decline and poor diet are associated with medication non-adherence in this population. Thus, the mental state, behavior of healthy living and better socioeconomic conditions may be factors in medication adherence in elderly outpatients.eng
dcterms.creatorArruda, Daiane Campos Juvêncio de-
dcterms.formatText-
dcterms.issued2013-05-08-
dcterms.languageporpor
dcterms.subjectAdesão medicamentosapor
dcterms.subjectMedicamentos - Utilizaçãopor
dcterms.subjectMedication adherenceeng
dcterms.subjectElderlyeng
dcterms.subjectTreatmenteng
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqSaúde Coletivapor
dc.publisher.courseMestrado em Saúde Coletivapor
dc.contributor.advisor-coMorelato, Renato Lírio-
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6472_2011_DAIANE CAMPOS JUVENCIO 2013.pdf1.6 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.