Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5561
Título: Epidemiologia e distribuição espaço-temporal da raiva no Espírito Santo, entre os anos de 1994 e 2013
Autor(es): Marinho, Karina Miranda
Orientador: Cerutti Junior, Crispim
Coorientador: Leite, Gustavo Rocha
Data do documento: 19-Mar-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A raiva é uma zoonose que acomete o sistema nervoso central (SNC), sendo caracterizada por uma encefalomielite viral aguda de caráter progressivo que acomete diferentes espécies de mamíferos terrestres e aéreos, representando um sério problema de saúde pública em todo o mundo. Objetiva-se descrever o perfil epidemiológico e a distribuição espacial e temporal da raiva ao longo dos anos no Espírito Santo, dentre os hospedeiros da doença, com intuito de avaliar a efetividade de ações de controle e compreender as características que influenciam a presença da doença no estado. Métodos. O estudo é de caráter descritivo, ecológico e a população estudada compreende todo o estado do Espírito Santo. Os dados analisados são referentes aos diagnósticos realizados no período de 1994 a 2013. O percentual de positividade dos diagnósticos foi analisado em cada ano e obteve-se uma série histórica com a frequência de diagnósticos da raiva segundo seu hospedeiro. Mapas temáticos com a distribuição dos casos no estado foram construídos e variáveis ambientais de uso do solo e topografia foram correlacionadas com a ocorrência da doença. Resultados. Foram examinadas, neste período, 22.854 amostras e a raiva foi diagnosticada em 1.925. Do total de amostras positivas, 80,9% eram provenientes de animais de produção, 16,9% de animais de companhia e 1,8% de morcegos, caracterizando as três principais classes de hospedeiros da doença. Observa-se que a raiva nos animais de produção se mantém em níveis elevados, com positividade acima de 25% das análises por todo o período, e se distribui por todo o território. Observa-se correlação positiva e significante (  = 0,277; p = 0,014), entre a ocorrência da doença nessas espécies e o relevo do terreno. Na classe dos animais de companhia, observamos uma considerável mudança ao longo dos anos, com valores mais altos até o ano de 2002 e próximos de zero e zero a partir de 2003. A raiva nesta categoria foi observada em maiores índices na região metropolitana de Vitória. Raiva em morcegos demonstra tendência crescente de ocorrência nos últimos anos avaliados, se mantendo com positividade acima de um por cento das amostras analisadas. Em humanos e em animais silvestres/outros, a positividade encontrada foi abaixo de um por cento do total de exames realizados. A raiva humana foi observada em locais onde se encontrava circulação viral entre reservatórios animais. Conclusões. Apesar do sucesso com a ausência de casos em humanos e controle da raiva em animais de companhia, podemos apontar a necessidade de melhorias nas estratégias de controle e vigilância da raiva em animais de produção, em morcegos e em animais silvestres.
Introduction. Rabies is a zoonotic disease that affects the central nervous system (CNS). It is characterized as an acute viral encephalomyelitis of progressive evolution, affecting different species of terrestrial and aerial mammals, representing a serious public health problem worldwide. The objective of this study was to describe the epidemiological profile and the spatial and temporal distribution of the rabies over the years in the state of Espírito Santo among the hosts of the disease, as to evaluate the effectiveness of control measures and understand the characteristics that influence the presence of disease in the state. Methods. The study is descriptive, ecological and comprises all the population of Espírito Santo. The data under analysis were obtained through the diagnosis of rabies in the period from 1994 to 2013. The percentage of positive results was analyzed each year and it was obtained a historical series with the frequency of rabies diagnosis, according to its host. Thematic maps of the distribution of cases in the state were constructed and environmental variables of land use and topography were correlated with the occurrence of the disease. Results. Along this period of time, 22,854 samples were examined. Of the positive samples, 80.9% of the cases were observed in livestock, 16.9% in pets and 1.8 % in bats, comprising the three major classes of hosts of the disease in the state. It is observed positive and significant correlation (  = 0.277; p = 0.014), between the occurrence of the disease in these species and the landscape. In the class of pets, we can observe a considerable change over the years, with higher values until the year of 2002 and figures close to zero or zero from 2003 on. Rabies in this category was observed at higher rates in the metropolitan area of Vitória. The series of Rabies in bats discloses a growing trend towards more recent years, revealing positive results in more than one percent of the samples. In humans and wild animals/ others, rabies was found in less than one percent of all samples. Human rabies was found in places where there was viral circulation among animal reservoirs. Conclusions. Despite the success represented by the absence of human cases and control of rabies in pets, we can point to the need for improvements regarding control strategies and rabies surveillance in farm animals, bats and wild animals.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5561
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8812_Dissertação Karina Marinho.pdf1.94 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.