Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9427
Título: Uso do espaço por uma população de Muriquis-do-norte (Brachyteles hypoxanthus)
Autor(es): Lima, Marlon
Orientador: Strier, Karen Barbara
Data do documento: 2-Jun-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Populações das primatas estudadas por longos períodos representam uma rara oportunidade para avaliar como as altas densidades populacionais e a defesa das áreas, como o territorialismo, influenciam o uso do espaço em fragmentos isolados. Nos muriquis-do-norte (Brachyteles hypoxanthus) da RPPN-Feliciano Miguel Abdala (RPPN-FMA) em Caratinga, Minas Gerais, a população com quatro grupos sociais variou de 288 a 335 indivíduos durante o período de estudo de agosto 2010 até julho 2013. Utilizamos 22.466 pontos de localização dos grupos, divididos mensalmente e anualmente, para estimar variáveis, como as áreas de uso, áreas nucleares, distâncias percorridas, sobreposição de áreas e interações intergrupais, que são importantes para o conhecimento do uso do espaço e para análises sobre o territorialismo. Usando o método do Kernel, descobrimos que as áreas de uso dos grupos variaram desde 146.5 ha (grupo Nadir) a 416.8 ha (grupo Matão) durante o período de estudo. As áreas nucleares encontradas variaram de 13% (grupo M2) a 29% (Grupo Nadir) das áreas de uso. As distâncias diárias percorridas foram semelhantes entre os quatro grupos e indicam que não sofreram influência da variação no tamanho dos grupos. As áreas de sobreposições entres os grupos variaram entre 0 e 66.4 ha das áreas de uso, e entre 0 e 7.5 ha das áreas nucleares, sendo que apenas o grupo Nadir teve sobreposição de área nucleares com os outros três grupos e a maior área foi com o grupo Matão, o maior grupo da população. A maioria dos encontros intergrupais (73%) aconteceram dentro das áreas nucleares. Assim, utilizamos o índice de defensibilidade proposto por Mitani & Rodman (1979) e a taxa de monitoramento fracionada de Lowen & Dunbar (1994) para testar o grau de territorialismo entre o grupo Matão e os grupos vizinhos. Nossas análises indicaram que a defesa da área nuclear foi muito maior que a encontrada para área de uso tanto mensal quanto anualmente. O territorialismo testado em nestas análises indica que o aumento da densidade populacional pode influenciar o modo como as populações ajustam o uso do espaço ao longo do tempo. Para verificar se o que encontramos é um padrão ou um comportamento atípico precisamos aumentar os estudos sobre os efeitos do territorialismo sobre o uso do espaço em outras populações de muriquis. Palavras-chave: uso do espaço; área de uso; área nuclear; distâncias diárias percorridas; sobreposição de área; territorialidade.
Populations of primates studied for long periods represent rare opportunities to assess how population densities and territoriality influence the use of space in isolated fragments. The population of northern muriquis (Brachyteles hypoxanthus) at RPPN Feliciano Miguel Abdala (RPPN-FMA) in Caratinga, Minas Gerais, consisted of 288 to 335 individuals divided among four social groups during the present study period from August 2010 through July 2013. We used 22,466 location points of the groups, analyzed monthly and annually, to estimate variables, such as the home ranges, core areas, day ranges, overlap areas and intergroup interactions, which are important for understanding the use of space and analyses of territoriality estimate. Home ranges varied from 146.5 ha (group Nadir) to 416.8 ha (group Matão) among the groups during the study period. Core areas ranged from 13% (group M2) to 29% (group Nadir) of the home ranges. The day ranges were similar among the four groups, indicating that they were not influenced by variation in the size of the groups. Overlapping areas between groups ranged from 0 to 66.4 ha of the home ranges, and from 0 to 7.5 ha of the core areas. Only Nadir group overlapped its core area with the other three groups and the largest overlap was with Matão group, the largest group in this population. Most intergroup interactions (73%) occurred within the core areas. Therefore, we use the defensibility index proposed by Mitani & Rodman (1979) and fractional monitoring rate of Lowen & Dunbar (1994) to test the degree of territoriality between the Matão group and neighboring groups. Our analyses indicate that the defense of the core area was much greater than that found for home ranges monthly and annually. The territorial defense of the core area suggests that population density can influence the use of space over time. To determine whether our finding of core area territoriality is a typical or atypical behavior for this species, we need comparative data from other populations. Keywords: use of space; home range; core area; day range; overlap area; territoriality
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9427
Aparece nas coleções:PPGBAN - Dissertações de mestrado



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.