Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9412
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorDitchfield, Albert D.-
dc.identifier.citationTOREZANI, Paulo Rogerio. Inferências sobre a preferência alimentar e a influência vitamínica na dieta de morcegos nectarívoros. 2018. 38 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Animal) – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/9412-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleInferências sobre a preferência alimentar e a influência vitamínica na dieta de morcegos nectarívoros.por
dc.typemasterThesiseng
dc.subject.br-rjbnMorcego.-
dc.subject.br-rjbnAnimais-
dc.subject.br-rjbnAlimentos.-
dc.subject.br-rjbnPreferências alimentares.-
dc.subject.br-rjbnVitaminas na nutrição animal.-
dcterms.abstractA relação entre plantas e morcegos polinizadores é bem conhecida dentre a literatura. Os morcegos polinizadores da região Neotropical pertencem a família Phyllostomidae que inclui morcegos frugívoros (e.g., Subfamília Stenodermatinae) e nectarívoros (e.g., Subfamília Glossophaginae). No Brasil, 74 espécies destes morcegos estão presentes. A diversidade na composição química de flores e frutos relacionada aos grupos de nectarívoros e frugívoros é ilustrada pela variação das diferentes quantidades de açúcares encontradas em suas polpas e néctares. Esta relação entre a preferência dos polinizadores/dispersores e a variação da composição/concentração de açúcares tem inspirado vários trabalhos relacionados ao tema. A maioria destes estudos se baseou na hipótese de que os morcegos do Novo Mundo preferem os açúcares de néctar e frutos que normalmente ingerem no ambiente natural. Grande parte dos estudos sugeriu que são necessários novos estudos buscando encontrar possíveis fatores nutritivos associados ao néctar, além da composição/concentração de açúcares. Partindo deste pressuposto, objetivou-se com este trabalho avaliar a preferência alimentar de morcegos nectarívoros por soluções açucaradas com diferentes composições/concentrações e adição de vitaminas. Para isso, foi testado o tipo de açúcar preferido por morcegos nectarívoros; a concentração de açúcar preferida por morcegos nectarívoros e a adição de vitaminas para saber se esta influencia ou altera a preferência alimentar de morcegos nectarívoros. A metodologia utilizada envolveu testes de preferência alimentar, utilizando bebedouros artificiais, que foram subdivididos em três etapas: composição de açúcares (sacarose, frutose e glicose), concentração de açúcares (baixa, média e alta) e adição de vitaminas (vitamina C e vitamina B12). As diferenças na preferência alimentar sobre os tipos de soluções foram inferidas a partir da contagem de visitações dos morcegos em cada bebedouro bem como a análise da quantidade de solução ingerida. Este estudo foi realizado no Parque Florestal do Instituto Nacional da Mata Atlântica (Santa TeresaES). Os resultados deste estudo concluem que morcegos nectarívoros desenvolvem 8 um comportamento preferencial pelo açúcar sacarose, em detrimento de monossacarídeos como frutose e glicose (hexoses), o que refuta a hipótese de que estes mesmo preferem o açúcar encontrado normalmente no néctar floral. Em relação a concentração, pôde-se constatar que, como esperado e apontado por outros trabalhos, a concentração ótima preferida é aquela encontrada no néctar floral (20%), contudo, alternativamente, concentrações maiores e menores podem ser ingeridas. Sobre a preferência baseada na presença/ausência de vitaminas, constatou-se que os quirópteros preferem soluções de néctares que contenham estes tipos de micronutrientes, sugerindo, inclusive que são capazes de identifica-los durante o forrageio.por
dcterms.abstractThe relation between plants and pollinating bats is well known among the literature. The pollinating bats of the Neotropical region belong to the Phyllostomidae family which includes frugivorous bats (e.g., Subfamily Stenodermatinae) and nectarivores (e.g., Glossophaginae Subfamily). In Brazil, 74 species of these bats are present. The diversity in the chemical composition of flowers and fruits related to nectarivore and frugivorous groups is illustrated by the variation of the different amounts of sugars found in their pulps and nectars. This relationship between the preference of the pollinators / dispersers and the variation of the composition / concentration of sugars has inspired several works related to the theme. Most of these studies were based on the hypothesis that New World bats prefer the nectar sugars and fruits they normally ingest in the natural environment. Most of the studies suggested that new studies are needed to find possible nutritional factors associated with nectar, as well as the composition / concentration of sugars. Based on this assumption, the objective of this study was to evaluate the alimentary preference of nectarivorous bats for sugary solutions with different compositions / concentrations and addition of vitamins. For this, the type of sugar preferred by nectarivorous bats was tested; the preferred sugar concentration by nectarivorous bats and the addition of vitamins to determine if this influences or alters the feeding preference of nectarivorous bats. The methodology used involved food preference tests using artificial drinkers, which were subdivided into three stages: composition of sugars (sucrose, fructose and glucose), concentration of sugars (low, medium and high) and addition of vitamins (vitamin C and vitamin B12). Differences in dietary preference over the types of solutions were inferred from the number of visits of bats in each drinking fountain as well as the analysis of the amount of solution ingested. This study was carried out in the Forest Park of the National Institute of the Atlantic Forest (Santa Teresa-ES). The results of this study conclude that nectarivorous bats develop a preferential behavior for sugar sucrose, to the detriment of monosaccharides such as fructose and glucose (hexoses), which refutes 10 the hypothesis that they even prefer sugar normally found in floral nectar. In relation to the concentration, it was observed that, as expected and pointed out by other studies, the preferred optimum concentration is found in floral nectar (20%), however, alternatively, larger and smaller concentrations can be ingested. Regarding preference based on the presence / absence of vitamins, it was found that chiroptera prefer solutions of nectars containing these types of micronutrients, suggesting that they are able to identify them during foraging.eng
dcterms.creatorTorezani, Paulo Rogério-
dcterms.formatTexteng
dcterms.issued2018-04-11-
dcterms.languagePor-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Biologia Animal)por
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqZoologia-
dc.publisher.courseMestrado em Biologia Animalpor
Aparece nas coleções:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11992_Dissertação Paulo Rogerio Torezani.pdf313.64 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.